5   +   5   =  

Cota zero do pescado pode chegar a Mato Grosso do Sul

Depois de proteger o dourado, o estado promete anunciar a proibição do transporte de todas as espécies em seus rios

Por Lielson Tiozzo

Mato Grosso do Sul pode aderir a cota zero do transporte do pescado a partir de fevereiro. O anuncio foi feito pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), durante um encontro com pescadores esportivos em Campo Grande. A medida deve ser estabelecida por meio de decreto. Se confirmado, este será o quinto estado com uma medida ampla de proteção, ao lado de Amazonas, Mato Grosso, Goiás e Tocantins.

De acordo com o site do Governo Estadual, “o modelo da nova legislação está sendo finalizada por técnicos da secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro)”. Vale lembrar que recentemente foi estabelecida a cota zero do dourado nos rios do estado.

A nova medida, no entanto, deve ser “quase zero”. Isso porque será estabelecida uma quantidade permitida para consumo nos locais de pesca.

Pescar e soltar vai ser um requisito para frequentar os rios de Mato Grosso do Sul a partir de fevereiro

“Vamos receber mais turistas, valorizar o pescador profissional e acabar com o atravessador”, declara, entusiasmado, o governador.
Segundo Azambuja, a Semagro está tocando um recadastramento de todos os filiados nas colônias de pescadores, com a participação das entidades, cruzando informações com dados do setor de pesca do governo federal.

“Sabemos que há muitas irregularidades e quem é realmente pescador profissional está sendo explorado, vivendo sob pressão. Esse pescador profissional pode trabalhar como guia de pesca, ter uma renda digna”, relata o governador.

A expectativa é que o texto seja publicado na primeira semana de fevereiro. Isto implica que logo na liberação da pesca a medida já estará valendo. O trade turístico deverá informar aos clientes, uma vez que a cota zero deve estar em vigor no Carnaval.