5   +   5   =  

“Prefiro usar bicheiro”, defende editor

Vamos à polemica! No meu entender, a melhor maneira de se embarcar um peixe de grande porte é usar o bicheiro

Por Pepe Mélega

Prefiro usar bicheiro! Mas é verdade. Se usado da maneira adequada, de dentro para fora na mandíbula inferior, nada supera esse artefato para embarcar o seu troféu. Concordo que é traumático vê-lo sendo usado. O ato de furar mais uma vez o peixe pode parecer insensato.

Surge o alicate tipo boga grip, que faz a mesma função e normalmente não fura a boca do peixe e que também precisa ser bem usado. É funcional e ajuda a deixar as mãos afastadas de uma boca abastecida de dentes como as de dourados, traíras entre tantas outras.

Por que então combater o uso desses acessórios? Porque criar uma polemica é bom para acender os holofotes de quem a cria!

O problema não está no que se usa e sim em como se usa. É esse ponto que deve ser debatido e divulgado. Peixes de porte menor não precisam de bicheiros e alicates. O bom puçá é o mais adequado – ou passaguá- hoje já é confeccionads com rede de polímeros técnicos – como o poliuretano, que não possui nós e são extremamente lisos, a ponto de causar o menor impacto possível ao moco protetor que a maioria das espécies tem.

Ao usa-lo garantindo o embarque e as fotos tão desejadas não esqueça de: fazer a retirada do anzol ou da garateia como o peixe ainda na água, molhar as mãos antes de toca-lo, manter sempre que possível na posição horizontal e não exceder nunca um minuto com ele fora d’água se a sua intenção é praticar o pesque e solte.

Para o peixe de grande porte, se for dotado de dentição, use o alicate tipo boga grip. Procure prender pelo canivete (extremos da boca). Use uma das mãos para apoiar o corpo em sua metade. Isso é muito importante, não o mantenha na vertical.

Não se trata de ditar regras, mas sim são sugestões de quem já muito observou, errou, apreendeu e as usa como uma boa prática ao manipular peixes que temos a intenção de solta-los.

O bicheiro não deve ser “demonizado”, embora muitos pescadores contestem o seu uso