4   +   7   =  

O que fazer em caso de afogamento?

Na pescaria estamos sujeitos a ver acidentes que colocam em risco a vida das pessoas. Confira algumas dicas para segurança e prevenção!

O que fazer em caso de afogamento na pescaria?

Olho na pessoa!

Quando alguém cai na água, é fundamental que a pessoa que noticiou o incidente mantenha os olhos grudados em quem está se afogando, mantendo o braço apontado em sua direção. Só assim pode-se garantir que não se perca a vítima de vista, devido à maré ou correntezas.

Chame por ajuda

Mesmo que tenha certeza de que a situação está sob controle, alerte as autoridades, sua marina ou o clube por meio do VHF. Pode acontecer de você não conseguir resgatar a vítima sozinho, ou ela precisar de atenção médica.

Circule a vítima

Jamais aproe o barco para a pessoa que caiu na água, pois o seu movimento pode fazer com que passe por cima dela, depois de desengatado(s) o(s) motor(es). Ao invés disso, gire em torno dela e aproxime a lancha de forma que a vítima fique lateralmente, a barlavento. Assim, o vento empurrará o barco para cima dela.

Lançar ao invés de pular

Se a pessoa na água estiver consciente, lance a boia salva-vidas (que toda embarcação deve ter a bordo). Certifique-se que a extremidade do cabo de retinida esteja firmemente atado ao barco. Pouco contribui para a recuperação da vítima se o cabo não estiver à mão para puxá-la para bordo depois que ela se agarrar à boia. Considere também ter um cabo com uma bola, ou um “pinha de retinida” (pinha feita de corda, que lembra uma bola), mais fácil de lançar e menos suscetível ao vento.

Use o colete salva-vidas

Se por algum motivo a vítima não conseguir se agarrar à boia ou estiver com dificuldade para se manter à tona, provavelmente você — ou um membro da tripulação — não terá outra escolha a não ser pular na água. O escolhido deverá estar amarrado em um cabo de segurança e usando colete salva-vidas. Do contrário, a chance de piorarmos a situação com duas vítimas de afogamento para resgatar é bastante grande!

Aproxime-se por trás

Se possível, aproxime-se da vítima por trás. Se ela vir você chegando e entrar em pânico, pode acontecer dela segurar sua cabeça ou braços e dificultar o resgate ou até contribuir para o afogamento de quem a está resgatando. Chegar por trás também facilita o controle da situação e impede que a vítima o abrace. Sugerimos que deixe isso para quando ela estiver sã e salva.

Ainda não acabou

Mesmo que a vítima esteja a bordo e tudo pareça em ordem, é importante procurar aconselhamento médico o mais rápido possível. Por quê? A razão atende pelo nome de afogamento secundário! Segundo a USSSA, “vítimas de afogamento podem reter água nos pulmões por horas após o incidente, e devem sempre ser monitoradas de perto”. Fique atento à dificuldade para respirar e procure a assistência de um profissional.

Ajude-se

Usar um colete salva-vidas é fundamental para a segurança de quem cai na água em regiões muito frias, mas ele não protege contra a hipotermia. Uma das formas de minimizar a perda de calor do corpo é aplicar a técnica HELP, um acrônimo para “Heat Escape Lessening Posture”, ou Postura Minimizadora de Perda de Calor. Coloque os joelhos perto do peito e cruze os braços em frente ao colete. Quanto menos se mover, maior a conservação de energia (calor), e mais tempo se sobrevive.