8   +   10   =  

Tubarões correm sério risco de extinção, adverte estudo

Pesca predatória teria provocado grave declínio na população de espécies como mako e anequim

Os tubarões de 17 espécies correm risco de extinção. Esta é a avaliação de um estudo feito pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

De acordo com a entidade, o alerta foi feito graças às pesquisas do Grupo de Especialistas em Tubarões (SSG, em inglês). Formam parte dele 174 pesquisadores de 55 países.

“Suscita uma preocupação especial à espécie mako, devido ao esgotamento de suas populações”, adverte o professor da Simon Fraser University do Canadá e mebro da SSG, Nicholas Dulvy.

“A população do tubarão mako teve um declínio de 60% de sua população no Oceano Atlântico nos últimos 75 anos”, pontua.

Os makos se reproduzem apenas no final de sua idade adolescente. Fazem longos períodos migratórios e são apreciados por suas nadadeiras em diversos países. Sobretudo os asiáticos.

Outro tubarão muito ameaçado é o anequim, o qual é muito encontrado na costa do Brasil. O motivo é similar: pesca predatória.

Ainda de acordo com o estudo, a proteção dos tubarões deve partir de uma legislação pesqueira mais conservacionista. E seguir o exemplo das cotas da “lista vermelha” de proteção da Austrália, um país considerado “exemplar” na proteção dos tubarões.

Os tubarões estão sucumbindo à pesca predatória mundial (Foto: George Desipris/Pexels)