9   +   5   =  

Boia cevadeira em pesqueiros

Vai ao pesqueiro? Vale a pena saber os macetes deste item muito comum na pesca aos “redondos”

Por Alexandre Olo

Entre todos os tipos de boias podemos dizer que a boia cevadeira seguramente está entre as preferidas dos frequentadores de pesqueiros.

Hoje em dia podemos dizer que a sensação da pesca em pesqueiros são os grandes pacus e tambacus.

Daí a utilidade dessa boia, pois na sua estrutura existe um compartimento ou reservatório com pequenos furos na parte inferior, que na hora do arremesso vai cheio de ração (guabi). E quando cai na água começa a entrar pelos furos e a ração que lá estava flutua, e sai de dentro do reservatório, espalhando-se ao redor, cevando o local e atraindo os peixes.

Mesmo tendo grande eficiência para provocar a atração dos peixes, ainda existe um tópico de suma importância para o sucesso de seu uso: a criatividade na confecção do chicote a ser usado.

Dica : Amarrar na boia um chicote com mais ou menos uns 2,5 metros de linha de monofilamento de aproximadamente 40 m, colocar uma boinha de isopor de preferência de uma cor fluorescente para sinalizar a pegada do peixe e na outra extremidade do chicote usar um anzol.

Geralmente este anzol de robalo ou Wide gap, com miçanga ou também um acessório que pode ser encontrado facilmente nas lojas de pesca ou até mesmo ser confeccionado artesanalmente : os cachinhos de uva , como são popularmente chamados.

O fato é que a criatividade está fazendo a diferença nas capturas e a observação também é de grande importância para o sucesso no final.

A boia cevadeira é uma das mais empregadas nos pesqueiros na busca pelos “redondos”