9   +   7   =  

Tilápia pode viver na água salgada, segundo pesquisa

Estudo tem como objetivo avaliar a viabilidade da criação de tilápias na água salgada de poços do Nordeste

Com informações da Assecom/Ufersa

A tilápia pode ser criada na água salgada. É o que concluiu uma pesquisa de mestrado desenvolvida pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido – Ufersa. Esta pode ser considerada uma das espécies mais criadas em tanques-rede do Brasil, mas em água doce.

Ainda de acordo com o estudo, outro diferencial é a utilização da tilápia vermelha, um híbrido da tilápia preta, ainda pouco produzida no Brasil. A pesquisa se deu na sede da universidade em Mossoró (RN).

A primeira fase da pesquisa “Tolerância de tilápia vermelha a diferentes salinidades”, desenvolvida pela mestranda Aline Gabriele Gomes da Silva, testou a criação da espécie em diferentes escalas de salinidade. Estas variaram de 0 a 40 graus.

“Observamos que com a salinidade da água acima de 40 PSU, a tilápia vermelha apresentou bom crescimento, chegando a pesar até um 1 kg, num intervalo de 90 dias”, indica o professor do curso de Engenharia de Pesca e coorientador da pesquisa, Marcelo Augusto. A água do mar possui salinidade entre 35 e 40 PSU.

O desafio agora será fazer com que a tilápia se desenvolva em graus mais elevados de salinidade, entre 0 a 60 graus.

“Vamos colocar os alevinos em sete gaiolas com variação de salinidade de 0, 10, 20, 30, 40, 50 e 60 PSU para avaliarmos o comportamento e o crescimento zootécnico dos peixes nas diferentes salinidades”, explica Aline Silva. Esta nova etapa terá duração de 120 dias.

Aline acrescentou que a pesquisa pretende provar a viabilidade da produção da tilápia vermelha em água com alto teor de sal.

“Acreditamos que essa é uma alternativa bastante viável para a região do semiárido que possui uma grande quantidade de poços com alta salinidade e salinas que estão com tanques desativados”, pontua.

Uma boa vantagem é assim surgiria dispensa do uso dessalinizadores, algo que iria baratear o custo da produção e assim atrair novos investidores.

Professor Marcelo Augusto Bezerra, um dos orientadores da pesquisa “Tolerância de tilápia vermelha a diferentes salinidades”. Foto: Assecom/Ufersa