5   +   4   =  

Vento na pescaria: afinal de contas, ele atrapalha ou não?

Muitos pescadores encontram dificuldades com as ventanias, mas saiba que é possível tirar vantagens destas condições

O vento não pode ser considerado um completo vilão. Nem tampouco um mocinho, que vai ajudar o pescador a conseguir o melhor resultado. Ele pode atuar nas duas funções durante o “roteiro” na pescaria.

Na verdade, o vento pode ser um grande aliado do pescador. Tanto no mar, quanto na água continental. Porque, afinal, ele carrega microrganismos para um determinado ponto os mantendo concentrados. Então é neste local que peixes menores se concentram e consequentemente acaba atraindo os predadores. Preste atenção neste detalhe!

No Verão o vento também é aliado. Afinal de conta, ele ajuda a oxigenar a água e permite um equilíbrio da temperatura. Já no Inverno, no entanto, o efeito é contrário.

Ele as esfria mais ainda, obrigando os peixes irem para um ponto mais abrigado. Por isso, no frio, além de ser insistente, o pescador deve prestar atenção neste detalhe.

Em condições de água limpa, o vento pode ser aliado. Porque em águas mais calmas e limpas, o peixe pode enxergar o pescador a muitos metros de distância. Então, o vento forma as “marolinhas”, as quais atrapalham a percepção dos peixes do que se aproxima “por cima”.

Outra dica importante! Se estiver pescando com carretilha, evite arremessar contra o sentido do vento. Porque você precisará colocar mais força, perde os parâmetros e certamente terá problemas. Faça ajustes ou, então, vale a pena experimentar um conjunto de molinete, ainda mais e o ponto é muito promissor.

Também vale a pena empregar uma linha mais fina. Ela forma menos “barriga” e consegue driblar a ação do vento por possuir um corpo mais leve.

O editor Alex Koike encaria uma pescaria sob vento forte no Rio Tapajós