3   +   5   =  

Alguns detalhes sobre a pescaria de trairão

Espécie de aparência jurássica é bastante agressiva e proporciona embates memoráveis com o pescador

A pescaria de trairão tem detalhes que sempre devem ser levados em conta. A espécie gosta de espraiados, mas pela manhã costumam estar preguiçosas, pois a noite é o período de maior atividade para se alimentar. Como pela manhã a água está mais fria, o que diminui o seu metabolismo, é preciso fazer vários arremessos para “acordar” o animal. Quando esquenta, eles costumam ficar do lado do barranco, onde tenha sombra no espraiado.

As galhadas sempre são um ponto tradicional de pesca. Se as galhadas se situarem na boca de uma baía ou córrego é praticamente garantia de que estarão no local porque são estratégicos.

Neles, os pequenos peixes se alimentam e escondem dos predadores, já os trairões buscam o lugar por conseguirem se camuflar e atacar com facilidade suas presas.

Outro excelente lugar é o que tem pedreiras e corredeiras. Neles, os trairões ficam escondidos nas partes mais rasas, nas locas e reentrâncias das pedras e quando a surge a oportunidade o ataque vem com rapidez e violência.

Lembre-se também de usar um material de pesca adequado. O peixe tem porte respeitável em muitas das vezes e pode facilmente romper uma linha. Além disso, tenha cuidado ao manuseá-lo. Por possuir dentes muito afiados, pode provocar acidentes com suas mordidas.

Para que a pescaria avance por muitas gerações, recomendamos o pesque-e-solte, ainda que o peixe capturado cumpra com os tamanhos permitidos no estado onde for pescá-lo.

O trairão é valente e exige muita atenção do pescador que pretende fisgá-lo