10   +   6   =  

Contingente de 360 policiais reforça fiscalização antes da piracema em MS

Operação irá atuar em pontos estratégicos para assegurar a proteção dos cardumes contra a pesca predatória

Por Lielson Tiozzo

Pelo menos 360 policiais ambientais estão em pontos estratégicos nos rios de Mato Grosso do Sul. Eles compõem a “Operação Pré Piracema”, que tem como objetivo evitar abusos de pesca predatória no último mês que antecede o fechamento da pesca para a piracema no estado.

Até o dia 5 de novembro, quando começa a piracema em Mato Grosso do Sul, os “trabalhos administrativos serão reduzidos” para o emprego do maior número possível de policiais. Em seguida eles já se serão destacados para coibir a pesca irregular no período de defeso.

De acordo com a Polícia Militar Ambiental, este ano a operação irá abranger datas especiais como 12 de outubro (Dia das Crianças/Nossa Senhora Aparecida ) e 2 de novembro (Finados). Embora sejam feriados “inúteis”, já que se darão em pleno final de semana, a tendência é que ainda exista forte presença de pescadores.

Além do combate à pesca predatória, nestes próximos dias os agentes seguirão exigindo a Licença de Pesca. Quem for flagrado sem o documento estará sujeito à multa e à apreensão de equipamentos. Vale lembrar que a carteirinha dever ser a emitida pelo site do Imasul. Ela é suficiente para a pesca nos rios do estado.

Nos dois últimos anos a Operação Pré Piracema rendeu números alarmantes de pesca predatória. Em 2017, dos 41 autuados por pesca, 37 foram presos por pesca ou transporte de produto da pesca predatória contra 38 em 2018. Ainda em 2017 somente quatro foram autuados administrativamente por falta de licença ou armazenamento de pescado, contra 40 na operação passada. O valor total de multas foi semelhante: R$ 87.792 mil em 17 e R$ 85.650 mil no ano passado.

Policiais fazem a conferência de pescado encontrado durante fiscalização em MS