4   +   7   =  

Pescaria no Lago de Balbina: paraíso perto de Manaus

Apresentamos uma excelente opção para quem tem poucos dias disponíveis para pescar e quer fisgar muitos peixes

Por Alexandre Dick

O tucunaré é um dos peixes mais agressivos para se pescar em todo o Mundo. Essa espécie selvagem e acrobata, ataca com voracidade as iscas artificiais de superfície, de meia água, jigs, moscas (fly) e tantas outras, oferecendo experiências inigualáveis para o pescador que escolhe viajar em busca de uma boa pescaria.

São diversas as opções de destinos existentes em todo o Brasil, principalmente no norte do país, que abriga o maior número de locais para fisgar esse esportivo peixe. Além disso, é nesta região que é possível se encontrar o maior número de espécies da família cichla.

Um dos redutos mais tradicionais em se tratando da pesca de tucunaré é o lago formado pela Usina Hidrelétrica de Balbina, localizado no Município amazonense de Presidente Figueiredo, distante de Manaus pouco mais de duas horas em rodovia asfaltada e mais alguns poucos quilômetros de estrada de chão. É considerada a pior Usina do Brasil em se tratando de geração de energia, já que devastou centenas de quilômetros de floresta para uma produção baixíssima de energia elétrica.

A construção desta usina formou um gigantesco lago no leito do Rio Uatumã, com aproximadamente 2.360 km². Neste lago, a floresta inundada proporcionou o nascimento de um local sensacional para que o tucunaré vazzoleri se reproduzisse e fizesse de lá a sua morada. São milhares de pontos de pesca em que é possível se deparar com exemplares de até 4,5 kg, sem contar os cardumes que às vezes aparecem e fazem a festa dos pescadores.

Foi para conhecer esse famoso lago que saímos do sul do país com destino à capital do Amazonas, Manaus, em busca dos briguentos bocudões que habitam aquelas águas.

A íntegra desta reportagem você confere na Edição 296 da Pesca & Companhia!

Reportagem é destaque da Edição 296 da Revista Pesca & Companhia