0   +   8   =  

Por dentro da IGFA, a principal entidade internacional da pesca

Conheça um pouco mais sobre o trabalho da entidade, em uma visita a sua sede na Flórida (EUA)

Por Henry Harada

Quando o assunto é recorde de peixe, a principal referência é a IGFA. A entidade internacional tem uma rica história, perto de completar 90 anos.

Em 1930, pescadores oceânicos da Austrália, Inglaterra e Estados Unidos pensavam numa forma de unificar as regras e conceitos da pesca esportiva para que a esportividade de cada captura (dificuldade, técnica e habilidade) pudesse ser comparada entre si.

Até então, os pescadores seguiam as regras estabelecidas pelos clubes locais, enquanto o British Tunny Club da Inglaterra já discutia a ideia da criação de regras que fossem seguidas no mundo inteiro; mas a iminência de uma guerra mundial adiou seus planos.

Ainda nesta época, o renomado pescador esportivo e aventureiro estadunidense Michael Lerner realizava uma expedição de pesca para a então exótica Austrália e Nova Zelândia, onde se encontrou com o pescador esportivo australiano Clive Firth, que também compartilhava das mesmas idéias.

A expedição contava com a presença do Dr. William King Gregory, chefe do Departamento de Ictiologia e Anatomia Comparativa do Museu Americano de História Natural, e também outro apoiador da idéia, já que, em sua visão, uma entidade desse tipo traria muitos benefícios à comunidade científica.

De volta aos EUA, contactaram por carta os principais pescadores, clubes e fabricantes de material de pesca esportiva, comunicando-os sobre a idéia e convocando-os para dar o seu parecer.

A resposta foi amplamente aceita, e, em 7 de junho de 1939, a IGFA – International Game Fish Association (Associação Internacional de Pesca Esportiva) foi criada, com sede em Nova York.

Em poucos meses, já reunia duas instituições científicas, 10 clubes de pesca esportiva e 12 representantes internacionais, números que em 1948 saltaram para 10 instituições científicas, 80 clubes e representantes em 41 regiões do mundo.

Hoje, são mais de 300 pescadores esportivos (homens e mulheres) representando a IGFA nas mais diversas regiões de pesca do mundo todo, interagindo com a comunidade e os governos locais em prol do desenvolvimento da pesca esportiva.

Entidade máxima

Além de regular as técnicas de pesca esportiva, a IGFA hoje é reconhecida por homologar, catalogar e organizar os recordes mundiais, consolidando-se então como referência para os pescadores esportivos do mundo todo, que espontaneamente seguem suas regras.

Eles têm, assim, a oportunidade de incluir seus troféus no anuário “World Record Game Fishes”, publicação da entidade que lista os recordes atualizados, separados por espécie e categoria, além de publicar dicas de pesca, um guia de identificação de espécies e outras curiosidades.

O trabalho da IGFA é de extrema importância em prol da preservação dos ambientes naturais de pesca e da fauna aquática, promovendo a pesca esportiva com ética e sobretudo o pesque-e-solte, com a realização de cursos, palestras e workshops para crianças, jovens e adultos.

Visita

Atualmente localizada na cidade de Dania Beach, Flórida, esta instituição sem fins lucrativos ocupa uma estrutura de três andares numa área de mais de 5.600 m2, com seus escritórios administrativos, salas de treinamento, o museu, hall da fama, biblioteca e a Wetland – uma reprodução dos habitats aquáticos do Estado da Florida.

Logo na entrada, os visitantes são brindados com uma vistosa fonte d’água, com um enorme marlin em aço inox que destaca o chafariz de entrada, cuja grandiosidade dá uma introdução do que será encontrado dentro.

O tour se inicia com um vídeo que explica as modalidades de pesca esportiva em água doce, água salgada, técnicas básicas de pesca e noções de preservação.

Hall da Fama

Nesta sala, que é o centro do museu, penduradas no teto estão as réplicas em tamanho natural dos recordes mundiais.

Todos os países membros da IGFA estão devidamente representados com suas bandeiras, e os integrantes do hall da fama representados por retratos em litografia.

As Galerias

The Fish (O Peixe)
A proposta desta galeria é de fazer o visitante sentir-se como um peixe, provendo informações sobre o seu comportamento, fisiologia e hábitos alimentares, além das informações sobre a importância da conservação dos habitats aquáticos e terrestres, com painéis, displays e cenários interativos.

The Tackle (O Equipamento)
Carretilhas, molinetes, iscas artificiais, varas e moscas.
Modernas e antigas lado a lado, ilustrando a evolução da tecnologia.

The Catch (A Captura)
Painéis com vídeos interativos, nos quais especialistas demonstram as técnicas e fundamentos da pesca em suas diversas modalidades ao lado dos simuladores, que dão a chance de pôr em prática as habilidades na captura das espécies: marlin, bass, tarpon, truta e sailfish.

The Places (Os Locais)
Os melhores pontos de pesca do mundo, ilustrados e catalogados num grande painel interativo

The Records (Os Recordes)
Todos os recordes, homologados e pendentes podem ser consultados aqui.

The Legacy (O Legado)
A pesca esportiva como era desde os primórdios

Saiba mais sobre a IGFA clicando aqui (página em inglês)

Frente da sede da IGFA na Flórida, nos Estados Unidos. Para obrigatória para quem visita a região e é apaixonado pela pesca