6   +   1   =  

Considerações sobre o uso de líder na pesca com iscas artificiais

Qual é o material mais adequado para fazê-lo e em quais situações é indispensável

Por Domingos Fiorante Bomediano (Bome)

Mesmo sendo possível pescar sem líder, há casos em que o vejo indispensável, como o da pesca com iscas de superfície, sobretudo as mais leves de menor arrasto. Elas, quando atadas diretamente à linha de multifilamento, macia e maleável, sempre que tracionadas com os toques de ponta de vara, acabam por saltar à frente, fazendo com que as garateias colham a linha de multifilamento, matando o movimento normal da isca.

Geralmente utilizo o fluorocarbono, mas posso também utilizar o monofilamento de náilon. Dependendo da situação, em pouco se modificam os resultados. O que deve ser bem dosado é o diâmetro do líder; mas é possível usar líder grosso.

Se, no meu caso, a decisão inicial de priorizar o líder é em razão do movimento da isca, sobretudo as mais leves de superfície, pode haver outros fatores para a decisão, como, por exemplo, quando se pesca em áreas com muitas estruturas. Especialmente aquelas que podem vir a atuar de modo a agredir a linha de multifilamento, fraca à abrasão, quando, então, um bom líder de linha de fluorocarbono pode vir a ser uma boa solução.

Geralmente coloco cerca de um metro, já que minha preocupação vai mais centrada no trabalho das iscas de superfície mais leves. Poderia ser até mais curto, mas, usando um metro, posso ir diminuindo o comprimento de acordo com os possíveis danos que ocorrem na região mais próxima à isca.

No entanto, para locais de muita estrutura, costumo aumentar o comprimento para não permitir que a linha de multi sofra muito com a abrasão. Todavia, há situações que levam à decisão de adotar líder bem maior, conforme a espécie que se pretende pescar e, sob este prisma, para algumas montagens na pesca de black basses, entendo fundamental um líder de fluorocarbono de não menos de quatro metros e, dependendo do caso, este líder deve ser ainda mais longo.

Para bons resultados, o líder tem de estar bem atado à linha principal. Para um bom nó, um alicate e uma boa tesoura ajudarão, mas, além do uso desses, costumo ainda usar um isqueiro para queimar as extremidades dos nós, garantindo melhor acabamento.

Sempre que se usa líder, sobrevém o problema do atrito do nó nos passadores, mas isso se ameniza com a escolha do nó. No meu caso, adoto o albright, em razão de sua simplicidade e rapidez de montagem, resultando igual aos demais, desde que bem atado e não se use líder muito grosso.

O líder pode ser feito no momento da pescaria, mas eu, que vou pescar semanalmente e quase sempre mais de uma vez, monto previamente vários conjuntos, inclusive com o líder já atado.

Fluorcarbono e monofilamento são os materiais mais comuns no emprego de líder na pesca com iscas artificiais