2   +   5   =  

Como aproveitar um bom ponto de pesca sem espantar os peixes

Nem sempre insistir bastante naquele lugar onde os peixes estão atacando é o correto

Você achou um ponto de pesca muito promissor, onde bateram ótimos exemplares, e toda a circunstância está favorável para uma boa pescaria. Porém, depois de alguns pinchos o peixe fica arisco. Insistir no mesmo lugar seria a solução? Nem sempre. Ainda que você empregue técnicas e iscas diferentes.

É bastante comum nas decisões que tomamos cometermos equívocos, principalmente devido à ansiedade, que quase todos nós pescadores sentimos em relação aquele tão sonhado troféu.

Neste caso, uma excelente solução é marcarmos bem o ponto, deixarmos ele dar uma “descansada”, e retornarmos em seguida para tentarmos outra chance com os grandões que ali se mostraram. Quando tempo depois? Varia. O melhor é apostar no próprio tato.

Os tucunarés, por exemplo, costumam demarcar os pontos para fazerem seus ninhos e ali permanecem para defendê-los. Já os dourados costumam se locomover. Mas se em determinado ponto encontraram fartura de alimentos, podem voltar. Ou nada impede que outro grupo se aproxime para atacar um cardume de presas, porque ali existe possibilidade de fazer uma emboscada.

É prudente da parte do pescador por vezes aliviar a intensidade de pinchos sobre um determinado ponto, pois assim, tendo a certeza da existência do seu troféu ali, mais vale se planejar para voltar com o peixe manso do que insistir até cansar.

As chamadas “pauleiras” costumam render boas ações de peixes como o tucunaré