1   +   3   =  

Como fazer uma boa pescaria com iscas artificiais em pesqueiros?

Muitos locais já aceitam os praticantes do baitcasting e a modalidade possui suas peculiaridades

Por Juninho

Adoro pesqueiros. Já fiz varias matérias a respeito, mas confesso que não sou expert das técnicas usuais. Na verdade, pesco bastante em pesqueiros, mas sempre usando iscas artificiais que imitam peixes insetos ou crustáceo. Isso é um grande desafio. Faço com equipamentos apropriados para o bait casting. Na maioria das vezes com molinetes pequenos, abastecidos com linha fina e vara leve.

Quando engatamos um grande redondo é algo ímpar. É uma briga de paciência, com muitos e muitos minutos. “Enganar” aquele peixão com uma imitação de inseto ou uma pequena isca meia-água de ABS ou vibration de metal e ainda colocar em prova toda sua experiência de pescador na briga é algo incrível.

Na verdade, não existe uma receita, pois a cada dia e a cada novo local uma nova técnica, ou uma variável dentro da técnica, surge. Então, para quem vai se aventurar, a dica é ter as iscas que mencionei: as que imitam insetos e outras, pequenos peixinhos. Tenha também pequenas minhocas.

Experimente esta nova forma de pescar garanto que ira se divertir muito, desta forma veja algumas dicas para se dar bem.

Legislação do pesqueiro

Tenha certeza que no pesqueiro que ira pescar é permitido o uso de iscas artificiais converse com o responsável e seja claro das suas intenções. Use apenas o que for permitido e da forma que e as leis internas determinarem.

Na hora “H”

Quando estiver com um grande peixe fisgado, não se desespere. Lembre que poderá estar com um equipamento não adequado para o peixe, que rompa os limites. Desta forma, fique calmo e curta a briga. Tire o peixe apenas quando ele estiver cansado. Assim que removê-lo da água, o trate com carinho, faça as fotos rapidamente e o solte com segurança.

Redondos no visual

Tambacus, tambaquis, pacus e patingas são manhosos. Tive grandes resultados com imitação de insetos artificiais. O negócio é muita observação (leitura de água) e perseverança. Eles desfilam muito na sub superfície. Com o uso de um bom óculos polarizado faça o lançamento das iscas no rumo deles. Eles geralmente atacam na caída.

Desta forma, espere alguns segundos antes de tracionar a isca. Outro detalhe é que lá no meio, quando for tracionar sua isca, faça isso de maneira bem lenta, com paradas, imitando um inseto que caiu na água e não consegue voar!

Tilápias e matrinxã

O uso de iscas que imitam borboletas é muito produtivo. Outra isca que vai bem são as vibrations – iscas de metal que afundam. As tilápias e as pequenas patingas não resistem. Lembrando que a cada dia surge um novo padrão de trabalho e montagem. O mais importante é a velocidade de recolhimento, que está intimamente ligado ao sucesso de suas capturas.

Tucunarés, um show à parte

O tucunaré é o grande formador de pescadores de bait casting (pesca de arremesso com iscas artificiais). Imagine este peixe em pesqueiros? É tudo de bom. Mesmo a pescaria sendo desembarcada, terá todo o conforto de um pesqueiro, como banheiros, restaurante e entre outros privilégios. Desta forma, podemos levar a família e ainda pescar um peixe incrível, que ataca vorazmente iscas artificiais. Dá pulo ao ser fisgado e ainda é fácil de ser manuseado. Por ser elegante, grandes fotos estão garantidas.

Nesta pescaria vale tudo o que tenha em seu estojo. Se entregue aos encantos deste peixe. Geralmente em pesqueiros ele fica próximo das margens, pois ali tem abrigo e alimento farto. Desta forma, faça arremesso laterais, acompanhando os barrancos e suas estruturas.

Capturar um redondo com isca artificial soft é uma boa pedida para quem vai ao pesqueiro