10   +   8   =  

Faça sempre o líder quando pescar com qualquer tipo de isca

Um bom nó para poder fazer este artifício é o bimini twist

Por Roberto Veras

Sou da opinião de que o líder é um dos pontos mais importantes na montagem de qualquer equipamento para qualquer tipo de pesca e para todas as técnicas, em especial quando usamos isca artificial.

Chego a afirmar que para algumas espécies fica impraticável a captura sem o emprego de um líder próprio, como, por exemplo, na captura dos grandes marlins.

Com o advento das linhas de multifilamento, a necessidade de um líder bem feito fica ainda mais evidente, uma vez que são linhas sem a mínima transparência e, portanto, visíveis ao peixe.

Na pescaria vertical é fundamental. Pode ser de fluorcarbono ou mesmo de náilon transparente.

Quando a pesca é em locais bastante profundos, com mais de 100 metros, por exemplo, uso líderes com resistência inferior à resistência da linha principal, para que o mesmo tenha três funções: a primeira para proteger o multifilamento das rochas, por ser o multi muito pouco abrasivo; a segunda, para que funcione como uma espécie de fusível, ou seja, em caso de ruptura do conjunto o líder deverá se romper, mantendo a linha intacta; e, terceira, para distanciar as iscas ou jigs da linha visível.

Na pescaria de arremesso de iscas artificiais ou bait casting, os líderes devem variar de acordo com a isca a ser empregada. Se ela for de meia- água, ou subsuperfície, aconselha-se o uso de fluorcarbono, por sua maior transparência; entretanto, se os plugs forem de superfície e leves, recomenda-se o uso de líderes de náilon, pois os de flúor são mais pesados e afundam, prejudicando o trabalho dos plugs.

Pescando em água salgada, use líderes bem longos, ainda mais se estiverem transparentes. Na pescaria de arremesso dos grandes poppers, para GTs, caranhas, xaréus e outros predadores robustos e briguentos, os líderes devem ser os mais robustos possível, pois serão exageradamente exigidos quando os predadores buscarem abrigo entre as rochas e corais.

Os líderes devem sempre ser confeccionados em casa e com todo o critério, dada sua importância e muitas vezes pela dificuldade de serem atados. Nós como “midnight” ou “nó name knot” exigem paciência e conhecimento para serem atados de acordo.

Para uma emergência, o nó “albright” pode “quebrar um galho” durante a pescaria. Vale salientar que sempre para unir multifilamento devemos fazer pelo menos 12 voltas.

Entre todos os líderes que uso, um se destaca. Foi desenvolvido em Ilhabela (SP) pelo meu compadre e editor técnico, Tuba, e eu, quando éramos guias de pesca no início do século.
É muito simples!

Dobra-se a linha principal e ata-se um nó das 20 voltas ou “bimini twist”. Escolhe-se uma linha para o líder, que pode ser tanto flúor como náilon e a dobra também. Para uni-las, basta um “loop to loop”. Fica super-resistente e muito pequeno, o que evita aquele atrito incômodo nos passadores da hora dos arremessos.

Como última dica, recomenda-se que os líderes sejam verificados o tempo todo, principalmente após uma captura em que foi bastante exigido.

O emprego do líder é recomendado para dar mais segurança ao pescador e também ao peixe