9   +   9   =  

Tambaqui no Araguaia?

Nós também ficamos surpresos. Mas, como todo pescador é insistente, fomos atrás para comprovar

Por: Maicon Bianchi
Fotos: Maicon Bianchi – Daniel Carvalho

Colossoma macropomum é o nome cientifico do maior representante da família dos redondos (pacu), o Tambaqui. O peixe é nativo da bacia amazônica e possui seu corpo arredondado e comprimido lateralmente com cor esverdeada e preta no dorso. Atinge grandes proporções, alcançando aproximadamente 1.20 m de comprimento e mais de 30 kg.

Tem como comportamento, na época das cheias, se localizar nas matas inundadas alimentando de frutos, flores, e folhas que caem na água. Durante a estiagem se estabelece nos rios, momento em que a sua pesca se torna mais produtiva.

Há alguns anos tivemos notícias que essa espécie estava sendo capturada no Rio Araguaia. Como seria possível se o tambaqui é nativo da bacia Amazônica?

Este ano, graças ao convite do Danilo, proprietário da página do Instagram Amigos do Araguaia, fomos para a região realizar essa pescaria e saber um pouco mais sobre o surgimento da espécie nessas águas.

Segundo relatos dos ribeirinhos e guias de pesca da região, há aproximadamente 15 anos começou a aparecer os primeiros tambaquis. Eles seriam procedentes de represas de fazendas criadoras da espécie que romperam.

Isto fez com que o peixe chegasse até o Araguaia, e a espécie encontrou ali um habitat perfeito e muito piscoso devido à composição química de suas águas, ricas em sais minerais, com inúmeras lagoas marginais favorecendo o crescimento dos pequenos tambaquis.

A íntegra desta reportagem você confere na Edição 298 da Pesca & Companhia!