3   +   2   =  

Vai de carretilha ou de molinete na pescaria de dourado?

A escolha pode ser pautada pelo gosto pessoal, mas o equipamento deve seguir alguns critérios

Por Pepe Mélega

Quando o pescador monta a tralha para a pescaria de dourado, pode surgir a dúvida. Vou de carretilha? Ou vou de molinete? Ambas são ferramentas excelentes para arremessar, recolher e brigar com o dourado.

Na verdade, um não leva vantagem sobre o outro. A escolha depende muito do gosto pessoal.

O importante é que tenha uma boa friçção. Isso não significa que necessite de um drag alto e sim um que libere linha de forma macia e constante quando necessário. Quer uma referência de capacidade de fricção? Ok, entre 6 e 10 lb (aproximadamente 3 a 5 kg) é muito bom.

O tamanho e o peso também são pontos importantes. Escolha um que proporcione maior conforto para pescar durante o dia inteiro.

Na modalidade de pescaria de arremessos, o material deve contar com pelos menos 120 metros de capacidade da linha escolhida.

Para a pesca de corrico ou de fundo o desejável e ter capacidade de 200 metros no mínimo – isso equivale a carretilhas de tamanho 2 ou 3 e molinetes 3 a 4 existentes no mercado.

Para finalizar fique atento a velocidade de seu equipamento. Os modelos de velocidade alta ficam em segundo plano, pois seriam indicadas para o uso de iscas de superfície ou com iscas de barbela menor em pontos de pouca corrente.

Como o caso citado acima é o menos usual, o mais recomendável é usar um modelo de velocidade média ou lenta, para trabalhar iscas de barbelas no meio da correnteza.

O pescador pode empregar ambos equipamentos, mas deve ficar atento às especificações