0   +   1   =  

Swordfish: a pescaria do gladiador das profundezas

Uma pescaria técnica e que requer muito conhecimento rende o embate com o swordfish – um lendário peixe de bico

Por Antonio Amaral, Tuba

Broadbill swordfish. Esse magnífico peixe, habitante das profundezas dos nossos oceanos é considerado entre os pescadores esportivos um dos mais fortes e resistentes. Sua pescaria é fascinante.

Seu nome científico, Xiphias gladius, vem do formato do seu bico ou espada “gladius” era o nome das espadas dos exércitos romanos na antiguidade. Embora semelhante aos marlins, ele não pertence a mesma família Istiophoridae e sim a uma família própria Xiphiidae. Pode atingir até 4,5 metros e um peso de 540 kg.

A pesca comercial é realizada à noite com a utilização de espinheis que podem chegar a dezenas de quilômetros de extensão. Sua carne é muito apreciada mundialmente. Espécie abundante em todos os oceanos, é conhecida no Brasil pelo nome de Meca e encontrada em várias peixarias.

A pesca esportiva é realizada em duas modalidades distintas e muito diferentes entre si. Existem a noturna e a diurna. Sendo que a segunda é a mais técnica e especializada, requerendo equipamentos específicos e muita dedicação.

Nos últimos anos, o Capitão Marcel Britto, proprietário da Fish Company Pesca Esportiva, em Salvador (BA) se especializou nessa delicada e complexa empreitada. Ele leva pescadores para travar verdadeiras batalhas com esses poderosos animais.

Marcel é um dos meus melhores amigos. Quase sempre conversamos horas ao telefone sobre táticas e técnicas das mais variadas modalidades. Claro que já conversamos a respeito dessa modalidade e sem sombra de dúvida essas conversas e as experiências que ele teve nas pescarias e que foi compartilhada ajudou muito no caminho da captura desse peixe.

A íntegra desta reportagem você confere na Edição 299 da Pesca & Companhia!