3   +   10   =  

A relação do vento e do calor na pesca de traíras com iscas artificiais

Leve em conta algumas dicas fáceis para definir qual o tipo de isca artificial irá utilizar

A pesca de traíras é popular e pode ser considerada barata. Isto porque os locais onde se dão a captura da espécie no Brasil são diversos, de Norte a Sul, e por isso são “mais perto de casa”. Isto sem contar que nos pesqueiros elas também estão presentes e em bom tamanho.

Existem algumas dicas que o pescador deve ter em consideração quando vai pescá-las. Leve em conta que as traíras gostam de partes mais rasas, onde a água esquenta mais rápido. Se em volta existir vegetação submersa, ali ela deve estar espreitando alguma presa ou cuidando do ninho. Outro ponto que a traíra gosta de ficar é perto de saídas de água em represas, porque ali ela pode encontrar exemplares menores buscando alimentos.

Alguns truques dão muito certo para pescar com isca artificial. Se faz calor e não há vento, use iscas de superfície para atraí-las. Mas se faz calor e o vento é forte, use meia água. Agora, se tem vento e a temperatura é mais agradável, aposte em iscas de fundo. Neste último caso, leve em consideração que a traíra gosta de permanecer em zonas confortáveis, e não vai querer sentir o impacto do choque de temperatura.

Use sempre um líder de aço flexível, independente do tipo de isca artificial que irá empregar. Os dentes afiados da traíra irão desgastar a sua isca e cortarão a linha de monofilamento ou de multifilamento com muita facilidade.

A traíra dá preferência para áreas rasas e com vegetação submersa; aposte nestes pontos (Foto: señueleros.com.ar)