2   +   1   =  

Por pesca predatória na piracema, dois são multados em mais de R$ 8 mil

Pescadores abateram duas cacharas e outros dois exemplares de dourados, que são protegidos em MS e a multa pelo abate já começa em R$ 2 mil

Dois pescadores foram multados em R$ 8.246 mil (R$ 4.123 mil cada um) pela captura e pelo transporte de 31 kg de peixes pescados durante a piracema. O flagrante de pesca predatória se deu quando os infratores saíam de uma pescaria no Rio Piripucu, em Mato Grosso do Sul. A proibição da pesca no local se dá até o final de fevereiro.

Segundo a Polícia Militar Ambiental, os pescadores foram abordados em um ponto de fiscalização na Rodovia MS-384, nas proximidades de Bela Vista. Houve a participação da Polícia Militar.

Os pescadores haviam abatido dois dourados (que são protegidos por lei) pesando 9,5 kg e outras duas cacharas que juntas pesavam 21,5 kg.

O valor da infração pela pesca predatória foi majorado por conta dos dourados. Cada exemplar abatido tem o valor da multa estipulado a partir de R$ 2 mil. Pelo crime ambiental ter sido cometido durante a piracema, existe outro agravante.

O pescado e o veículo foram apreendidos. Os pescadores, um vigilante de 21 e um açougueiro de 33 anos, receberam voz de prisão e foram conduzidos à delegacia de Polícia Civil de Bela Vista. Eles foram autuados em flagrante por crime ambiental de pesca e transporte de produto da pesca predatória.

Os peixes serão doados para instituições filantrópicas.

A Polícia Ambiental instalou pontos de fiscalização em locais estratégicos do estado. A Operação Piracema foi montada ainda em novembro passado, no início do período de proibição. Até o momento, há um registro alarmante de aumento da pesca predatória.

Dourados e cacharas apreendidos serão doados para Instituições Filantrópicas de Bela Vista (MS)