Pescador bate seis recordes mundiais em duas semanas de pesca

Estadunidense Arthur Weston aproveitou uma semana produtiva no Rio Uruguai para bater três recordes do dourado, um da traíra tornasol, outro do bagre-amarelo e outro do surubim

Por Lielson Tiozzo

Imagine o que é bater seis recordes mundiais em apenas duas semanas? Nem mesmo um atleta olímpico no auge da forma consegue tamanha façanha. Mas o pescador Arthur Weston agora só espera a homologação da IGFA para ter os recordes em categorias de linhas do dourado, do surubim, do bagre amarelo e também da traíra tornasol.

Weston foi destaque nas redes sociais da IGFA com um dourado de 6,78 kg (37 lb) que “potencialmente estabelece o novo recorde mundial” da classe de linha de 6 kg (12 lb) da IGFA para homens. A façanha se deu na região conhecida como La Zona, no Rio Uruguai, na Argentina.

A Pesca & Companhia entrou em contato com o estabelecimento. A diretora Giuliana Bradanini informou que Weston vem “todos os anos” e sempre com a missão de bater recordes. Desta vez ele está pleiteando três do dourado (linhas 8, 12 e 20 lb), um do surubim (linha 20 lb) e outros da traíra tornasol e do bagre amarelo (categorias ainda não informadas).

“No próximo ano ele prometeu que vai se empenhar em bater o recorde por peso (All Tackle) e o por comprimento (All Tackle Lenght) ”, confirma Giuliana.

Weston possui 11 recordes, sendo 8 deles ainda vigentes. O estadunidense ainda conta com o recorde do abotoado mais pesado (All Tackle) com 8.16 kg. Possui também o recorde do tucunaré-açu mais comprido (que está empatado com cinco registros) com 90 cm, fisgado no Rio Curicuriai, no Brasil. E, por fim, outro recorde obtido em águas brasileiras é o da cachorra (3.86 kg) com linha de 2 lb capturado no Rio Jatapu.

Weston é um grande caçador de recordes e pretende superar o do dourado em todas as categorias