Boto ataca peixe-elétrico

As cenas dessa batalha impressionam pela violência dos ataques

Por Alex Koike

Quem conhece o peixe-elétrico (Electrophorus electricus) nunca imaginaria que algum animal fosse louco para atacar ele.

Porém, o boto desse vídeo parece ignorar a fama do animal, golpeando o peixe-elétrico com extrema violência.

Também conhecido como poraquê, esse peixe é capaz de produzir energia elétrica de até a 1.500 volts, segundo alguns estudos.

Para se ter a ideia dessa potência, um choque de mais de 500 volts é capaz de matar um cavalo.

Isso acontece porque ele possui células musculares especializadas, chamadas eletrócitos, localizadas cauda. Um exemplar adulto pode ter cerca de dez mil mioeletroplacas (o conjunto de eletrócitos).

Adversário a altura

Agora, o que a maioria de nós não também imaginava é o quanto o boto pode ser astuto.

O cetáceo descobriu que poderia golpear a sua presa usando a sua velocidade dentro da água e a potente, sem que o peixe-elétrico tivesse tempo para dar o choque.

Na classificação dos biólogos, não há diferença entre o boto e o golfinho, é uma questão de nomenclatura. O termo boto ganhou força no Brasil para nomear o cetáceo encontrado na água doce.

O cérebro dos golfinhos quando comparado ao tamanho do corpo, possuem um índice parecido com o dos humanos (6,5 para nós; 5,5 para e para eles). E ganham de outras espécies inteligente como os chimpanzés (apenas 2,6).

Segundo pesquisadores brasileiros, os botos rosa usam uma comunicação complexa e com sons variados.

Foram identificados, 237 sons diferentes, sugerindo uma comunicação entre as mães e seus filhotes.