Foto: Clarildo Menezes

Circuito Estadual de Pesca movimenta a praia de Cordeirinho em Maricá (RJ)

175 pescadores de diferentes municípios participaram e retiraram do mar 342 peças com 37 quilos ao todo

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca, marcou presença neste domingo na etapa de abertura do circuito estadual de pesca, organizado pela Liga Independente de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Liperj), que teve o apoio da Coordenadoria de Pesca Esportiva e Amadora de Maricá.

Um total de 175 pescadores de diferentes municípios participaram divididos em 17 equipes que retiraram do mar 342 peças com 37 quilos ao todo. O evento, realizado na altura da Rua 72, em Cordeirinho, marcou o retorno do circuito que estava suspenso desde o início da pandemia do novo coronavírus.

A arrecadação foi doada a uma instituição que cuida de moradores de rua. A equipe Maricá Pesca e Lazer foi a grande campeã desta etapa, que homenageou um dos diretores da Liperj, Fabiano Palhares, falecido durante a pandemia. A diretora de pesca da Liperj, Selma Eliza, lembrou que o circuito na cidade serve não apenas de fomento à atividade.

“Quem vem de outras cidades se hospeda nos nossos hotéis e pousadas, o que movimenta também esse setor. Com isso criamos uma cadeia produtiva que envolve mais de um setor”, ressaltou ela, que também integra a Coordenadoria de Pesca Esportiva e Amadora de Maricá. Segundo a dirigente, a cidade vai sediar outras duas etapas do circuito estadual: uma em Jaconé (em agosto) e outra em Itaipuaçu (em outubro).

Para o presidente da Liperj, Alexandre Lima, a volta das competições era muito aguardada pelos pescadores. “Estavam todos numa grande expectativa pelo retorno, por poder voltar às praias e, principalmente, se confraternizar de novo e ter esse clima familiar”, disse ele.

Chamava a atenção a grande presença de mulheres pescando na competição. Uma das que levou um troféu para casa foi Lílian Bragança, de 59 anos, que também ressaltou o ambiente fraterno do encontro. “Mais importante que pescar e competir é essa amizade e comunhão que temos aqui. Pode observar, quem pesca não toma remédio para nada. É bom demais”, declarou a moradora de Cordeirinho.