10   +   7   =  

Estouros nas iscas de superfície em pesqueiro

Alex Koike vai até um pesqueiro no ABC Paulista e mostra como é possível ter uma pescaria divertida e muito produtiva com iscas artificiais

Uma pescaria com iscas de superfície não é tão comum no pesqueiro. Isto porque esse tipo de pesca não costuma ser muito produtivo. Especialmente naqueles dias de muito movimento, pois o peixe tende a ficar mais desconfiado com várias pessoas andando em volta do lago. Ou ainda, existem locais que não permitem o uso de iscas artificiais.

No entanto, em mais um vídeo inédito, Alex Koike mostra como é possível fazer esta pescaria com iscas de superfície. Basta escolher o dia e o pesqueiro certo. Ter prudência e escolher os pontos mais livres. Alguns pesqueiros possuem lagos exclusivos para os arremessos com artificiais.

Respeitando esses critérios, nosso editor foi até o pesqueiro Sol Pescarias, em São Bernardo do Campo (SP), e encontrou matrinxãs, piracanjubas e até o cobiçado tucunaré-azul bem ativos. O editor usou artificiais pouco conhecidas da maioria dos pescadores e teve bastante sucesso com trabalho ora acelerado, ora mais lento das iscas de superfície. Isto rendeu capturas de bons exemplares.

Outro detalhe! Neste vídeo o editor experimenta as varas da marca japonesa Major Craft e o resultado foi acima do esperado. O material mostrou ser extremamente balanceado, leve e resistente. Mesmo em lugares mais complicados para arremessar, os lançamentos conseguiam boa distância e precisão.

O editor ainda explica como funciona esta pescaria tanto com molinete, tanto com carretilha. Ambos equipamentos são produtivos para o uso de iscas de superfície. Vai do gosto de cada um. Mas fica uma dica: para iscas mais leves, o molinete leva vantagem no momento de arremessar. Por isso, há sugestões de quais podem ser empregados para ter sucesso.

Assista: