9   +   9   =  

Oito curiosidades sobre a piapara

Espécie é uma das favoritas dos pescadores por exigir muita técnica e por proporcionar grandes duelos

Confira curiosidades sobre a piapara!

1- Possui vários “apelidos”: Se você é de outra região do Brasil que não seja a Sudeste, talvez conheça a piapara como piava. Ou até mesmo boga (denominação usada em países vizinhos). 

2 – A maior piapara já pescada, segundo a IGFA, pesou 7.26 kg. Ela foi capturada em 2013 no Rio Uruguai, na Argentina, pelo pescador Ray Snyder.

3 – A piapara é parente de gênero (Leporinus) do piavuçu e do piau, espécies muito semelhantes. 

4 – Sua pesca se dá preferencialmente com iscas naturais. Como massas e grãos (milho) oriundos de cevas, ou vivas, como minhocas e caranguejos. Ocasionalmente pescadores empregam iscas diferentes, como filés de salmão, calabresa ou salsicha. 

5 – Existem diversos registros de capturas com tuviras ou iscas artificiais os quais tinham como alvo outras espécies. Mas não é algo convencional, que se dá em todas as pescarias.

6 – A espécie prefere viver em cardumes, a fim de evitar ataques de seus principais predadores, os dourados. Por isso os pontos onde se dão as capturas costumam render muitas ações.

7 – São econtradas em toda a Bacia do Prata. E também nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, bem como na Bacia do São Francisco

8 – Costuma ser pescada com diversas técnicas, sempre com iscas naturais. Como no “balancinho”, na espera ou na rodadinha/pingadinha. Sendo que cada uma tem um equipamento específico, que exige desde a espessura da linha, o peso do chumbo e até o tipo de vara. 

A piapara é uma das espécies mais queridas dos brasileiros; aproveite para pescá-la!