7   +   10   =  

Três respostas que devemos saber sobre nossa carretilha

As respostas devem estar na ponta da língua com certa antecedência para evitar problemas

Antes de qualquer pescaria, o pescador deve ter três respostas na ponta da língua sobre a sua carretilha. Caso não saiba, é melhor se preocupar. 

O freio está funcionando bem?

Muitas vezes a carretilha sofreu algum revés durante a última pescaria e, na correria do dia-a-dia, o pescador acaba se esquecendo de fazer os ajustes necessários. Há também possibilidade do problema aparecer depois que o equipamento foi guardado e o pescador só se dá conta logo nas primeiras ações da pescaria seguinte. Faça testes antes de partir para a próxima aventura com o máximo de antecedência, a fim de conseguir providenciar o ajuste ou conserto necessário a tempo. 

A linha não está desgastada?

Podemos esquecer quantas pescarias já fizemos com uma mesma linha e quantas adversidades ela enfrentou. O ideal é prestar muita atenção nas condições do material e ter sempre um carretel reserva, com a mesma espessura e resistência, à disposição. Não faça uma longa viagem de pesca sem ter a certeza do estado da linha e sem se ter a resposta precisa para esta pergunta!

A mecânica geral está boa?

Os ajustes de freio centrífugo e magnético estão bem? O knob não está desgastado? As manivelas não estão comprometidos ou com algum ponto de ferrugem? O ideal é fazer o uso de produtos anticorrosivos, sobretudo em condições de água salobra ou salgada. Caso algo não esteja funcionando bem, procure algum especialista que possa fazer a “revisão” da carretilha. É investimento e a garantia de só precisar se preocupar em capturar os peixes. 

Se você souber responder estas três perguntas, fique tranquilo em sua pescaria!