4   +   8   =  

Improviso na pesca: sim ou não?

Duas visões distintas sobre o tema. Confira com qual perfil você se encaixa

Por Lielson Tiozzo

Ser prevenido na pesca significa ter maior produtividade. Pelo menos esta é a visão de Juninho, quem defende com veemência que o improviso na pesca pode indicar falta de atenção do pescador. Por outro lado, Guilherme Monteiro acredita que na pescaria “toda hora” há necessidade de improvisar. E agora?

Juninho conta que passa os dias anteriores a uma saída “sonhando” com o que vai fazer. “Sou muito organizado neste quesito. Se o pescador não for bem alinhado com isso, nem adianta ele ir para o rio”, afirma. 

Não é à toa que deixa pelo menos três bolsas sempre prontas para as pescarias e modalidades que mais gosta: piaparas (e outras espécies que podem ser pescadas com técnicas similares), caiaque (impermeável) e, por fim, a que usa em viagens. 

Ele tem um check list particular para cada pescaria e evita que falte qualquer coisa. “A única coisa que faço é mudar algumas coisas: protetor solar, carteira de pesca, alicates, repelentes e snaps conforme a pescaria”. 

Juninho crava: “o sucesso da pescaria está intimamente ligado à organização prévia. Porque o pescador vai sonhando  e conforme vai lembrando ele ajeita a tralha a ponto de não deixar faltar nada”.

“Improviso sempre”

Por outro lado, Guilherme Monteiro não abre mão da criatividade durante a pescaria.  “De modo geral, sempre é preciso estar improvisando algo em uma pesca, seja no equipamento, seja no acampamento, na hora de comer, no caiaque, na lancha”. 

O gaúcho cita que até mesmo uma garrafa pet pode se transformar em um copo em sua aventura.  Até mesmo o espeto para fazer churrascos pode ser feito com arame. Fazer ajustes com materiais simples para ele é habitual.

“Uma vez a minha alicate de contenção se desmanchou . Consertei com um pedaço de cabo de aço flexível, destes já prontos”, lembra.

Monteiro sugere que grandes aliados do pescador são Super Bonder, Poxipol, WD 40, fita adesiva e corda, além de sempre levar uma boa faca.  “Se uma isca do tipo soft se romper, cola nela”. 

Portanto, ainda que o pescador seja adepto do improviso, mesmo assim ele não pode ser desleixado. Alguns itens devem sempre estar na tralha para alguma emergência. 

Ser organizado na pesca e contar com uma tralha caprichada faz a diferença