9   +   1   =  

Argentinos estabelecem cota zero do dourado por quatro meses

Província de Entre Rios estabelece um período de proteção e regras específicas para cada peixe protagonista da Bacia do Prata

Por Lielson Tiozzo

Para proteger o dourado, a província de Entre Rios, na Argentina, estabeleceu a proibição da pesca por quatro meses. O período restritivo com cota zero começou no último dia 1º de setembro e vai até 31 de dezembro.

Entre Rios é uma das regiões privilegiadas da Argentina para a pesca do dourado e de outras espécies da Bacia do Prata. De um lado está o Rio Paraná e de outro, na divisa com o Uruguai, o Rio Uruguai.

Por isso, o governo local estabeleceu uma legislação pesqueira que aborda cada espécie de maneira individual. Existe determinação de cota e de tamanho de captura, além da época de proibição da pesca para assegurar o período reprodutivo.

A proteção ao dourado se dá porque “faz migrações reprodutivas regulares pelos rios das bacias onde vivem. O período reprodutivo na região é entre a Primavera e o Verão, por isso se estabelece a proibição”.

Assim que terminar a “veda”, cada pescador licenciado tem direito ao transporte de um exemplar de dourado, desde que tenha o tamanho mínimo de 65 cm.

Já o surubim-pintado também possui regra específica. O peixe é protegido de agosto a março e vigora a cota “absolutamente” zero. Ninguém pode abater um exemplar sequer.

A piapara não possui período de proibição, mas cada pescador pode transportar apenas um exemplar, com tamanho mínimo de 42 cm. O jaú e o pacu são protegidos o ano todo.

A proteção ao dourado se dá entre os meses de setembro a dezembro em Entre Rios, na Argentina