1   +   5   =  

Quando usar spinnerbait ou crank na pesca com isca artificial?

É sempre bom ter os dois modelos à disposição. Mas cada um tem sua vantagem

Por Fábio Tatsukawa

Uma dúvida comum entre os fãs do baitcasting. Quando usar o spinnerbait ou crank na pesca com isca artificial? Uso essas duas artificiais pelo motivo de proporcionarem maior rapidez para achar o peixe, sendo ideais para explorar o terreno e localizar o peixe numa longa distância, especialmente quando não conhecemos o lago ou não existem estruturas visíveis.

Por ter o anzol voltado para cima, somado à forma da cabeça e ao ângulo do arame, o spinnerbait pode ser usado em vegetações, troncos e gravetos. Em dias com vento, ele é ótimo para pescar rente ao mato que fica nas margens, lugar onde o vento acaba levando plânctons que servem de alimentos para os pequenos peixes. As lâminas imitam esses forrageiros, despertando o ataque dos basses. Experimente trabalhar de várias maneiras, rente ao fundo, meia-água ou recolhendo na superfície, semelhante um buzzbait.

Apesar de o spinnerbait ser uma excelente isca, principalmente por evitar o enrosco, ela tem uma desvantagem. Quando o bass está manhoso, ataca de leve a ponta da saia ou a cauda do trailer. Para evitar as perdas, uma ótima opção é usar um trailer hook, que seria um single hook preso por meio de duas ou uma borracha.

Já as barbelas das crankbaits também evitam que a isca enrosque, desviando das pedras e troncos. Mas, mesmo assim, todo cuidado é pouco, porque ela pode enroscar, por terem as garateias voltadas para baixo. É importante ir reconhecendo o terreno ou a estrutura quando o crank estiver trabalhando. Isso nós chamamos de imagination training, que consiste em é usar a imaginação para fazer o mapa do terreno fornecido pelo crankbait. Esse treinamento pode ajudar muito pescador.

O crank usado em águas mais fundas desperta o ataque do peixe no momento que a isca passa pelo drop off, no primeiro toque com as estruturas ou no momento em que a isca está subindo para a superfície.

Com o treino, o pescador passa a reconhecer os lugares onde o peixe vai atacar e a evitar certos enroscos. Por normalmente ser uma isca floating, podemos dar uma pausa quando ela passar pelo obstáculo sem se prender. Essa técnica pode fazer o peixe ataca-lá quando estiver subindo.

Quem nunca lançou um spinnerbait em um tronco caído próximo à margem e o peixe não atacou? Na maioria das vezes, o brilho da lâmina e o worm usado como trailer não foram suficientes para provocar o animal. Nesse caso, o crankbait pode chamar a atenção do peixe por causa do barulho e do desvio repentino ao se chocar com o tronco, fazendo que ele ataque por reação.

Leve em conta as características do local onde vai pescar para fazer a escolha