1   +   6   =  

Quatro maneiras de arremessar na pescaria

O pescador pode executar estas formas diferentes para poder alcançar os melhores pontos

Por Pepe Mélega/Ilustrações: Márcio Bolzom

Existem quatro boas maneiras para podermos arremessar numa pescaria com iscas artificiais. Vamos mostrar algumas para que se conheça os “porquê (s)” de usá-las.

Over Cast

O mais comum é o arremesso por cima da cabeça (Over Cast). É o básico! Também usado para atingir distâncias maiores. Precisamos ter espaço para cima para executa-lo. É seguro quando pescamos embarcados se o parceiro também estiver paralelo a você e ambos arremessando para o mesmo lado.

Side Cast

Outro arremesso é de lado (Side Cast). Feito pelo lado do braço que segura a vara, bastante útil quando não temos altura para fazer o arremesso por cima. Pode criar problema quando pescamos embarcados para o parceiro, mas há solução. É o arremesso oposto (backhand cast), executado do lado oposto ao braço que sustenta a vara. Este ajuda a evitar fisgar o companheiro de barco.

Flip Cast

Existe o Flip cast, o arremesso da martelada, pois o movimento a lembra. É feito na frente do corpo, sem movimento amplo do caniço, de forma que evita enroscar em obstáculos presentes acima e dos lados. Muito eficaz na precisão e em distâncias medianas, porque proporciona uma saída da isca baixa, podendo ser usada para adentrar espaços que não permitem um arremesso com ângulo de cima para baixo como acontece quando o fazemos por cima da cabeça.

Pitching Cast

O arremesso de pêndulo (Pitching Cast), também é executado a frente do corpo. Nele se usa o movimento da vara com pouco esforço e se consegue uma boa distância. Com uma das mãos se segura a isca e com a outra a vara com a ponta para baixo. Devemos fazer o movimento de levantar a ponta da vara e simultaneamente deixar a isca sair de sua mão. A grande qualidade desse arremesso é a precisão e a apresentação suave da isca ao cair na água quando sua técnica é dominada.