2   +   1   =  

Um visionário chamado Ray Scott

Conheça um pouco da história daquele que pode ser considerado o “pai” dos torneios de pesca

Quem imaginaria que o maior torneio de pesca no mundo nasceria dentro de um quarto de hotel? Tudo começou quando Ray Scott – um pescador de black bass dedicado, em 1967 em uma viagem de pesca para o Mississipi ficou preso em seu quarto de hotel por conta de uma tempestade que o impediu de pescar no dia.

Ele clicou nos canais de televisão e, para a sua decepção, só encontrou um único esporte: jogo de basquete. Foi neste momentos que ele pensou: “Por que ninguém transimte uma pescaria? Há mais gente pescando do que jogando basquete”.

Nessa verdadeira visão que mudaria o futuro da pesca, idealizou uma nova indústria de pesca, com ídolos da pesca, e que ainda encabeçaria projetos de preservação ambietal no futuro. A ideia era fugir do “torneio de amigos” para uma competição nacional.

Uma das grande sacadas foi ter implementado nos torneios o pesque-e-solte, conceito inspirado pelos pescadores de truta com equipamento de fly fishing. Hoje, mais de 98% do basses pesados durante os torneios voltam vivos para as águas.

Desta forma, os torneios chegaram aos programas de televisão e passaram a ter grande destaque.

Além dos torneios, Ray Scott criou a primeira liga nacional de torneio de bass (Bassmaster Tournament Trail), foi fundador da revista Bassmaster Magazine, da premiada série de televisão “The BASSMASTERS”, e a BASS (Bass Anglers Sportsmen Society), que atualmente possui mais de 650.000 membros em todo o mundo. e tem representantes nos Estados Unidos, México, Itália, Japão, África do Sul e Zimbábue.

De acordo com a revista norte americana Field & Stream, ele está entre as 20 personalidades que “fizeram a diferença” para o esportes outdoor do século passado no Estados Unidos, por causa de suas contribuições para a conservação ambiental e navegação segura.

Ray Scott é considerado um “visionário” do atual formato de torneios de pesca