0   +   4   =  

Recorde do tucunaré-azul é batido no Lago do Peixe

Guia Mariozan capturou um azulão de 4.99 kg, o suficiente para conquistar um recorde que estava empatado entre dois peixes desde 2017

Por Lielson Tiozzo

O guia de pesca Mariozan Gomes do Nascimento bateu o recorde do tucunaré-azul. A IGFA homologou a captura que se deu em junho de 2018, no Lago do Peixe Angical, em Tocantins. O exemplar pesou 4.99 kg ou 11 lb.

Segundo a IGFA, o recorde do Cichla piquiti estava empatado entre dois peixes de exatamente 4.54 kg ou 10 lb. O primeiro foi capturado em 2011 na Represa de Serra da Mesa (GO) e o segundo em 2017 no Lago do Peixe.

O critério para desempatar o recorde foi o seguinte. Para superar um peixe registrado com menos de 11.33 kg (25 lb), o candidato deve ter o mínimo duas onças a mais de peso, ou 56.69 g. O exemplar de Mariozan tem 1 lb (453 g) a mais de peso que os outros dois concorrentes. Por isso, agora existe um recordista absoluto do tucunaré-azul.

Mariozan contou à Pesca & Companhia que seu recorde também já poderia ter sido superado. Há pouco tempo dois clientes capturaram azulões de 12 e de 13 lb. No entanto, não puderam pleitear a homologação, porque a alicate usada para embarcar o peixe não obedecida os critérios da IGFA ou porque a pesagem não havia sido feita de maneira adequada.

O guia também lembrou que o incentivo ao pesque-e-solte tem sido outro provável ingrediente de sucesso e crescimento dos peixes no Lago do Peixe.

“As pousadas fizeram um acordo e estão incentivando os pescadores a soltar os tucunarés. O resultado tem sido positivo. Tem muito peixe grande por aqui”, conta.

O tucunaré-azul é originário das bacias do Araguaia-Tocantins e Amazônica. A espécie foi introduzida na Bacia do Rio da Prata e também em algumas regiões do Nordeste.

Especialista na pescaria de tucunarés, Mariozan também detém o recorde do tucunaré-vazzoleri, com um exemplar de 7.71 kg, capturado no Rio Paratucu.

Confira como se deu a captura deste tucunão azul: