6   +   6   =  

Primeiro caso de desrespeito à nova lei de pesca em MS rende multa de R$ 1,5 mil

Homem pescava de barranco no Rio Paraguai, em Mato Grosso do Sul, e ainda mentiu para os policiais sobre a quantidade de dourados que iria transportar

A nova lei da pesca Mato Grosso do Sul teve sua primeira aplicação em 2019. Um homem que pescava de barranco no Rio Paraguai, nas proximidades de Corumbá (MS), foi flagrado com 18 exemplares de dourado. Ao todo, ele cometeu três infrações e acabou multado em R$ 1.540 mil.

Vale recordar que a cota zero do transporte do dourado foi aprovada no estado em janeiro deste ano. E na semana passada o governo estadual aprovou uma redução da cota de todas as espécies para 2019 .

Sendo assim, de uma só vez, o infrator pescou a espécie proibida, fez pescaria irregular (apenas o pesque e solte na calha do Rio Paraguai está permitida até a liberação da pesca) e ainda que fosse uma espécie permitida, extrapolou a cota. Até o fim de 2019 cada pescado licenciado pode levar 5 kg, mais um exemplar e 5 piranhas. Ele portava 42 kg apenas de dourados.

“Podemos considerar este caso como o primeiro de desrespeito à cota zero do dourado. Mas ele seria multado de qualquer jeito, devido às outras infrações”, explica o tenente-coronel da Polícia Militar Ambiental, Ednilson Queiroz.

Segundo a PMA, o homem foi flagrado e vistoriado na margem do rio. No momento da abordagem, os agentes já encontraram três exemplares de dourado. Então eles questionarem se o homem havia pescado mais. Mesmo com a negativa, os policiais foram até o carro do infrator e lá encontraram outros 15 dourados.

O infrator (45 anos), residente em Corumbá (MS), recebeu voz de prisão e foi encaminhado, juntamente com material apreendido, à delegacia de Polícia Federal da cidade. Agora ele responderá por crime de pesca predatória. A pena para o crime é de um a três anos de detenção. O pescado será doado para instituições filantrópicas.

Os 18 exemplares de dourado abatidos pelo pescador (Foto PMA/MS)