5   +   9   =  

Um sonho realizado: a pescaria de piraíba

Persistimos e aprendemos um pouco mais sobre este fascinante peixe de couro que habita o lendário Rio Araguaia

Por Maicon Bianchi

A pescaria está em minha vida desde criança. E com a passar do tempo intensifiquei a paixão por ela. Estive em inúmeros locais pescando dentro e fora do nosso país, mas nunca tinha capturado a tão sonhada piraíba. E nessa pescaria em Luiz Alves (GO), no Rio Araguaia, tive meu primeiro contato com ela.

Sempre imaginei que essa pescaria fosse monótona, que ficaria em um barco o dia todo ou as vezes mais que dias para ter uma única ação ou nenhuma. E que não teria paciência para tal, pois sempre busquei pescarias ativas principalmente com iscas artificiais. Puro engano… Para pescar a “rainha” devemos contar com muita técnica e dinâmica.

Mas antes de comentar os detalhes, gostaria de descrever o cenário. O distrito de Luiz Alves pertence ao município de São Miguel do Araguaia (GO), localizado às margens do imponente Rio Araguaia. É considerado um paraíso dos pescadores, por sua proximidade com os excelentes locais de pesca ao longo da ilha do Bananal.

A cidade possui boa infraestrutura com hotéis, pousadas e barcos-hotéis, bem como serviços de utilidade, tais como locação de canoas, guias de pesca (piloteiros), fábrica de gelo, supermercados, farmácia, postos de saúde e polícia.

As principais espécies de escama são pacu caranha, matrinxã, pirarucu, piau, pacu, tucunaré, corvina e traíra. Entre os peixes de couro estão Piraíba, cachara, barbado, pirarara, jaú, mandubé, surubim chicote, bico de pato e mandi.

O período que vai de início de abril ao final de outubro, com a alta temporada em julho, é o que mais recebe visitantes.

A íntegra desta reportagem você confere na Edição 295 da Pesca & Companhia!